Dow anuncia fechamento de sua planta de TDI em Camaçari, no Brasil

7 04 2012

REFERÊNCIA

BLOG DO PLÁSTICO. Dow anuncia fechamento de sua planta de TDI em Camaçari, no Brasil. Disponível em:<http://blogdoplastico.wordpress.com> Acesso: 06 Abr 2012.

Via: http://www.dow.com/brasil/la/bra/pt/news/2012/20120402a.htm


A Dow Chemical Company anunciou que está implementando reduções de custos em linha com o seu compromisso de gerenciar ativamente seu portfólio e em resposta à fragilidade contínua da economia europeia.

Entre as medidas estão o fechamento de determinadas unidades fabris na Europa, América do Norte e América Latina, assim como o cancelamento de uma seleção de projetos de capital e a implementação de reduções da força de trabalho, como parte dos esforços da Companhia de redução de custos, anunciados anteriormente, e de seu programa de Eficiência para o Crescimento, iniciado em 2011.

A Dow Brasil, uma subsidiária da The Dow Chemical Company, fechará a sua planta de tolueno diisocianato (TDI) em Camaçari, estado da Bahia, no Brasil. Essa decisão é o resultado de extensa avaliação da competitividade de longo prazo da fábrica e está alinhada às metas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EH&S) da Dow. A decisão de fechar a fábrica foi muito difícil, dado o forte compromisso da Dow com a indústria de poliuretanos e com os mercados atendidos pelo produto TDI no Brasil e na América Latina.

Como parte das metas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EH&S) da Dow, a Companhia elevou os padrões de segurança das suas operações ao redor do mundo. Nessa direção, fez investimentos significativos na fábrica de TDI de Camaçari para aumentar a segurança da planta. Uma recente Análise Quantitativa de Risco (AQR) confirmou que a planta de TDI de Camaçari atende aos requisitos legais brasileiros. Contudo, seriam necessários investimentos adicionais significativos para que a planta fosse operada em conformidade com os elevados padrões de EH&S da Dow.

A planta não tem sido lucrativa nos últimos anos e os investimentos adicionais requeridos tornariam a operação economicamente inviável. Finalmente, durante o período necessário para a implementação de novos investimentos, a operação da planta teria um nível de risco indesejado e elevado de EH&S. Consequentemente, em linha com os nossos valores essenciais, a Dow decidiu não reiniciar a planta e fechá-la permanentemente.

Desde outubro de 2011, a planta está parada para a manutenção programada, tempo em que a Dow conduziu uma análise minuciosa de todas as opções estratégicas. “A Dow está totalmente comprometida a trabalhar junto com os clientes e outros stakeholders em uma transição que minimize o impacto da decisão e cumpra as obrigações contratuais”, afirmou Fernando Rodriguez, diretor geral de Termofixos para a América Latina.

Os 123 funcionários da unidade foram notificados da decisão. A Dow Brasil está trabalhando nos esforços para minimizar o impacto aos funcionários, o que inclui realocação para outras unidades, pacote de benefícios e serviços de recolocação em outras empresas (outplacement).

O compromisso da Dow com a indústria de poliuretano

A Dow é líder na produção global de óxido de propileno, propileno glicol e polióis poliéteres, com um legado de mais de 60 anos na química de poliuretanos, integração reversa para matérias-primas, inovação, assim como expertise de gerenciamento de produtos e processos.

“Na indústria de poliuretano no Brasil, manteremos o foco estratégico nas áreas de óxido de propileno e derivados, como polióis poliéteres e propileno glicol, além de continuar a executar a nossa operação de poliol em Guarujá, São Paulo, e propileno glicol, em Aratu, Bahia, mantendo a nossa posição de produtores líderes de polióis poliéteres no mundo e o maior produtor na região da América do Sul”, continuou Rodriguez.

Compromisso da Dow com o Brasil

A Dow reitera seu compromisso de longo prazo com o Brasil, atendendo distintos mercados por meio de suas 15 unidades fabris (as maiores delas localizadas em Aratu, estado da Bahia, e Guarujá, estado de São Paulo), cinco centros de pesquisa (dois deles abertos em 2011) e dois escritórios, em São Paulo e o recém-aberto no Rio de Janeiro. Só em 2011, a Dow criou mais de 200 novos empregos no Brasil, aumentando sua força de trabalho em 10%.

Também em 2011, a Dow anunciou um acordo de joint venture com a Mitsui & Co. para construir a maior unidade integrada do mundo para a produção de biopolímeros feitos de etanol derivado de cana-de-açúcar renovável. Esse é o maior investimento da Dow no Brasil em mais de 50 anos de operação no país. O projeto alinha-se com a meta da Dow de desenvolver soluções de baixo carbono para atender aos urgentes desafios mundiais de energia e mudança climática. Os biopolímeros produzidos nessa unidade serão uma alternativa verde e um substituto para as embalagens flexíveis de alto desempenho, mercados médicos e de higiene, oferecendo aos clientes os mesmos atributos de desempenho com um perfil ambiental mais sustentável.

Sobre a Dow Poliuretanos

A Dow é a maior produtora mundial de óxido de propileno (PO), propileno glicol (PG) e polióis poliéteres, bem como uma das principais produtoras de isocianatos aromáticos de qualidade, como o MDI. Os produtos de poliuretano da Dow aprimoram uma ampla variedade de aplicações, incluindo construção, aplicações automotivas, moveleiras, roupas de cama, eletrodomésticos, moldagem decorativa, equipamentos atléticos, entre outras. O negócio oferece ingredientes, sistemas e soluções importantes para espumas rígidas, semirrígidas e flexíveis, adesivos, selantes, revestimentos, elastômeros e ligantes. A Tecnologia PASCAL™ exemplifica a iniciativa contínua da Dow de liderar a indústria no fornecimento de produtos de alto desempenho que atendam às necessidades mais críticas dos consumidores.

Anúncios




Colchões Ortobom à venda?

17 03 2008

É o que diz uma nota da Revista Veja, publicada semana passada, na sessão Radar:

A GP Investimentos está fechando a compra da Ortobom, dona de 14 fábricas e 900 lojas que vendem colchões.

A informação ainda é muito vaga para se afirmar com certeza a negociação.

Aguardemos novos anúncios.

REFERÊNCIA:
JARDIM, L. A GP deita na cama. Revista Veja, São Paulo, ano 41 n. 10, p. 36, mar. 2008.





Dow Química e Crystalsev avançam em projeto de parceria

8 03 2008

A Dow Química informou que a parceria definida em julho deste ano com a Crystalsev já está na última etapa do estudo de viabilidade que definirá a localização do pólo alcoolquímico planejado pelas empresas. A unidade terá capacidade para produzir 350 mil toneladas anuais de polietileno a partir do etanol e deverá entrar em operação em 2011.

No Memorando de Entendimento de criação da joint venture, as empresas estabeleceram o prazo de um ano para a realização do estudo técnico-econômico de produção, além da obtenção de aprovações, diligências e aprovações corporativas usuais. ‘Estamos animados com o andamento desse projeto, que diminuirá nossa dependência em combustíveis fósseis, protegendo o meio ambiente para as futuras gerações’, afirma em comunicado o presidente e CEO da Dow, Andrew Liveris.
Continue lendo »





Balanço positivo da Dow Química na bolsa de Nova Iorque

30 01 2008

As bolsas norte-americanas operam em direções divergentes, enquanto o mercado digere os indicadores econômicos conflitantes. Os índices Dow Jones e o S&P 500 conseguiram se manter no positivo, graças a alguns balanços positivos, como o da Dow Chemical. O foco do mercado é a especulação sobre o tamanho do corte dos juros que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) deverá anunciar.

Entre as ações em destaque, as da Dow Chemical subiram mais de 4%, após divulgar resultados acima das previsões do mercado. A Dow anunciou que seu lucro líquido caiu 52% para US$ 472 milhões (US$ 0,49 por ação) no quarto trimestre de 2007. Excluindo itens, o lucro por ação recuou para US$ 0,84. Sua receita cresceu 16% para US$ 14,23 bilhões. Analistas consultados pela Thomson Financial previam lucro de US$ 0,80 por ação (excluindo itens) e receita de US$ 13,1 bilhões.

REFERÊNCIA:
RUHMAN, Carolina. Bolsas de NY operam em direções divergentes. Para o Portal Exame. Disponível em: <http://portalexame.abril.com.br>. Acesso em: 30 Jan 2008





Dow Química reduz lucro anual 22%

30 01 2008

Portugal: O resultado líquido desceu aos 2,89 mil milhões de dólares, sobre um volume de negócios de 53,5 mil milhões de dólares, montante 9% acima do apurado um ano antes.

A empresa líder da indústria química americana, que também fornece matéria-prima para a indústria de poliuretano, tal como o Poliol Voranol e o TDI Isonate T-80, acusou o aumento dos custos energéticos e das matérias-primas, associado a um abrandamento da atividade econômica nos EUA e custos de reestruturação para justificar a quebra no resultado do quarto trimestre fiscal.

Assim, o resultado líquido dos últimos três meses do ano caiu para os 472 milhões de dólares, praticamente metade do alcançado um ano antes. Já o volume de negócios trimestral progrediu 16%, até aos 14,2 mil milhões.

REFERÊNCIA:
DINHEIRO DIGITAL. Dow Chemical reduz lucro anual 22%. Disponível em: <http://diariodigital.sapo.pt>. Acesso em: 30 Jan 2008