Cientistas criam polímero que pode se regenerar

14 06 2014

Cientistas conseguiram desenvolver um novo polímero que, quando cortado ao meio, pode se regenerar. É um truque bem impressionante.

Desenvolvido por uma equipe de cientistas espanhóis, o material é tecnicamente uma “rede elastomérica permanentemente reticulada de poli(ureia-uretano)”, mas eles o chamam simplesmente de “polímero Exterminador”.

A ciência por trás das cenas é ligeiramente complexa para leigos – os detalhes estão aqui – mas os resultados são fáceis de ver. Corte-o no meio e, em apenas duas horas, o plástico pode se fundir novamente e recuperar 97% das conexões físicas que perdeu ao ser cortado. E ele nem requer um catalisador! Isso é definitivamente algo digno de Exterminador.

Felizmente, os usos práticos disso são um pouco menos perigosos que um robô assassino. A ideia é usá-lo para criar componentes ​​de plástico mais duráveis nos carros, gadgets e tudo o mais.

É impressionante ver algo futurista assim em ação. E de acordo com os autores da pesquisa, publicada no periódico Materials Horizons da Royal Society of Chemistry, ele não deve ser difícil de produzir:

Há poli(ureia-uretano)s com composição química e propriedades mecânicas semelhantes que já são utilizados em uma vasta gama de produtos comerciais. Isto torna este sistema muito atraente para uma implementação rápida e fácil em aplicações industriais de verdade.


REFERÊNCIA
LIMER, Eric. GIZMODO BRASIL. Cientistas criam “polímero Exterminador” que pode se regenerar como mágica Disponível em: <gizmodo.uol.com.br> Acesso: 14 Jun 2014.

Anúncios




Dow Química construirá planta de elastômeros na Tailândia

12 02 2008

O Grupo SCG-Dow, joint venture entre Dow Chemical e o conglomerado industrial tailandês Siam Cement Public Company (SCG), construirá uma fábrica de elastômeros de especialidades na cidade de Map Ta Phut, na Tailândia. A companhia não divulgou os valores do negócio, que foi anunciado na semana passada.

Segundo o Grupo SCG-Dow, a unidade, que ficará localizada no complexo do grupo, deverá entrar em operações em 2011. “As empresas da região Ásia-Pacífico estão crescendo rapidamente e essa nova instalação fornecerá aos clientes locais os plastômeros e elastômeros tecnologicamente mais avançados do mundo”, destaca em nota o presidente do Grupo de Negócios para Plásticos de Especialidades e Elastômeros da Dow, George Biltz.

REFERÊNCIA:
GAZETA MERCANTIL. PETROQUÍMICA: Dow construirá planta de elastômeros na Tailândia. (Redação – InvestNews). Disponível em: <http://www.gazeta.com.br>. Acesso em 12 fev 2008