Secex investiga suposto dumping com MDI polimérico

15 06 2014

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Secex/MDIC) iniciou investigação para averiguar a existência de dumping nas exportações da Alemanha, Bélgica, Hungria, Países Baixos, Portugal, Espanha e Coreia para o Brasil de MDI polimérico.

O produto, classificado no item 3909.30.20 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), é amplamente utilizado para aplicações de espumas rígidas de poliuretano nas indústrias de refrigeração, de isolamento térmico e de construção civil.

A decisão consta de circular publicada no Diário Oficial da União, que também detalha os fatos que justificaram a abertura da investigação. Segundo o texto, a análise dos elementos de prova de dumping considerou o período de janeiro a dezembro de 2013.

Já o período de análise de dano considerou o período de janeiro de 2009 a dezembro de 2013. Clique aqui e veja a íntegra da circular.


REFERÊNCIA
PARANÁ ON LINE. Secex investiga suposto dumping com MDI polimérico. Disponível em: <www.parana-online.com.br> Acesso: 15 Jun 2014.





Vazamento de TDI causado por acidente contamina solo no Piauí

23 01 2013

REFERÊNCIA

G1.GLOBO.COM. Vazamento tóxico causado por acidente contamina solo no Piauí. Disponível em:<http://g1.globo.com> Acesso: 23 Jan 2013.


As duas pistas da BR-316, no km 270, ao Sul de Teresina (PI), permanecem interditadas devido ao acidente que envolveu três carretas no sábado (23) e provocou uma explosão pelo vazamento de 25 toneladas de diisocianato de tolueno (TDI), utilizado na fabricação de espumas de poliuretano, transportado. A Curadoria do Meio Ambiente informou que houve um grave dano ambiental e o material químico tóxico contaminou o solo e os mananciais da região. Devido à periculosidade do TDI, o povoado de Gaturiano, no município de Dom Expedito Lopes, teve que ser evacuado. A perícia está levantando os danos ambientais reais.

O acidente aconteceu no sábado à noite e até hoje a pista está interditada devido ao material tóxico espalhado na rodovia. A colisão entre uma carreta carregada de madeira e o caminhão que transportava o TDI foi frontal. Houve uma explosão e um incêndio de 14 horas. Quatro pessoas morreram.

A perícia técnica iniciou hoje a apuração de danos e a extensão da contaminação. Por conta disso, o trânsito foi desviado por dois novos trechos. A Polícia Rodoviária Federal confirmou a gravidade do acidente. Segundo a polícia, tão logo seja feito o levantamento, a polícia vai tentar lavar a pista para desobstruí-la, retirar o material tóxico e retomar o tráfego.





Dow anuncia fechamento de sua planta de TDI em Camaçari, no Brasil

7 04 2012

REFERÊNCIA

BLOG DO PLÁSTICO. Dow anuncia fechamento de sua planta de TDI em Camaçari, no Brasil. Disponível em:<http://blogdoplastico.wordpress.com> Acesso: 06 Abr 2012.

Via: http://www.dow.com/brasil/la/bra/pt/news/2012/20120402a.htm


A Dow Chemical Company anunciou que está implementando reduções de custos em linha com o seu compromisso de gerenciar ativamente seu portfólio e em resposta à fragilidade contínua da economia europeia.

Entre as medidas estão o fechamento de determinadas unidades fabris na Europa, América do Norte e América Latina, assim como o cancelamento de uma seleção de projetos de capital e a implementação de reduções da força de trabalho, como parte dos esforços da Companhia de redução de custos, anunciados anteriormente, e de seu programa de Eficiência para o Crescimento, iniciado em 2011.

A Dow Brasil, uma subsidiária da The Dow Chemical Company, fechará a sua planta de tolueno diisocianato (TDI) em Camaçari, estado da Bahia, no Brasil. Essa decisão é o resultado de extensa avaliação da competitividade de longo prazo da fábrica e está alinhada às metas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EH&S) da Dow. A decisão de fechar a fábrica foi muito difícil, dado o forte compromisso da Dow com a indústria de poliuretanos e com os mercados atendidos pelo produto TDI no Brasil e na América Latina.

Como parte das metas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EH&S) da Dow, a Companhia elevou os padrões de segurança das suas operações ao redor do mundo. Nessa direção, fez investimentos significativos na fábrica de TDI de Camaçari para aumentar a segurança da planta. Uma recente Análise Quantitativa de Risco (AQR) confirmou que a planta de TDI de Camaçari atende aos requisitos legais brasileiros. Contudo, seriam necessários investimentos adicionais significativos para que a planta fosse operada em conformidade com os elevados padrões de EH&S da Dow.

A planta não tem sido lucrativa nos últimos anos e os investimentos adicionais requeridos tornariam a operação economicamente inviável. Finalmente, durante o período necessário para a implementação de novos investimentos, a operação da planta teria um nível de risco indesejado e elevado de EH&S. Consequentemente, em linha com os nossos valores essenciais, a Dow decidiu não reiniciar a planta e fechá-la permanentemente.

Desde outubro de 2011, a planta está parada para a manutenção programada, tempo em que a Dow conduziu uma análise minuciosa de todas as opções estratégicas. “A Dow está totalmente comprometida a trabalhar junto com os clientes e outros stakeholders em uma transição que minimize o impacto da decisão e cumpra as obrigações contratuais”, afirmou Fernando Rodriguez, diretor geral de Termofixos para a América Latina.

Os 123 funcionários da unidade foram notificados da decisão. A Dow Brasil está trabalhando nos esforços para minimizar o impacto aos funcionários, o que inclui realocação para outras unidades, pacote de benefícios e serviços de recolocação em outras empresas (outplacement).

O compromisso da Dow com a indústria de poliuretano

A Dow é líder na produção global de óxido de propileno, propileno glicol e polióis poliéteres, com um legado de mais de 60 anos na química de poliuretanos, integração reversa para matérias-primas, inovação, assim como expertise de gerenciamento de produtos e processos.

“Na indústria de poliuretano no Brasil, manteremos o foco estratégico nas áreas de óxido de propileno e derivados, como polióis poliéteres e propileno glicol, além de continuar a executar a nossa operação de poliol em Guarujá, São Paulo, e propileno glicol, em Aratu, Bahia, mantendo a nossa posição de produtores líderes de polióis poliéteres no mundo e o maior produtor na região da América do Sul”, continuou Rodriguez.

Compromisso da Dow com o Brasil

A Dow reitera seu compromisso de longo prazo com o Brasil, atendendo distintos mercados por meio de suas 15 unidades fabris (as maiores delas localizadas em Aratu, estado da Bahia, e Guarujá, estado de São Paulo), cinco centros de pesquisa (dois deles abertos em 2011) e dois escritórios, em São Paulo e o recém-aberto no Rio de Janeiro. Só em 2011, a Dow criou mais de 200 novos empregos no Brasil, aumentando sua força de trabalho em 10%.

Também em 2011, a Dow anunciou um acordo de joint venture com a Mitsui & Co. para construir a maior unidade integrada do mundo para a produção de biopolímeros feitos de etanol derivado de cana-de-açúcar renovável. Esse é o maior investimento da Dow no Brasil em mais de 50 anos de operação no país. O projeto alinha-se com a meta da Dow de desenvolver soluções de baixo carbono para atender aos urgentes desafios mundiais de energia e mudança climática. Os biopolímeros produzidos nessa unidade serão uma alternativa verde e um substituto para as embalagens flexíveis de alto desempenho, mercados médicos e de higiene, oferecendo aos clientes os mesmos atributos de desempenho com um perfil ambiental mais sustentável.

Sobre a Dow Poliuretanos

A Dow é a maior produtora mundial de óxido de propileno (PO), propileno glicol (PG) e polióis poliéteres, bem como uma das principais produtoras de isocianatos aromáticos de qualidade, como o MDI. Os produtos de poliuretano da Dow aprimoram uma ampla variedade de aplicações, incluindo construção, aplicações automotivas, moveleiras, roupas de cama, eletrodomésticos, moldagem decorativa, equipamentos atléticos, entre outras. O negócio oferece ingredientes, sistemas e soluções importantes para espumas rígidas, semirrígidas e flexíveis, adesivos, selantes, revestimentos, elastômeros e ligantes. A Tecnologia PASCAL™ exemplifica a iniciativa contínua da Dow de liderar a indústria no fornecimento de produtos de alto desempenho que atendam às necessidades mais críticas dos consumidores.





Evonik apresenta novidades em aditivos para espumas de poliuretano

6 01 2011

REFERÊNCIA:
AUGUSTO, Taís. PORTAL NACIONAL. Evonik apresenta novidades em aditivos para espumas de poliuretano. Disponível em:<www.segs.com.br>. Acesso: 05 Jan 2010.


Os novos produtos são destinados a diversos segmentos que fazem uso de espumas flexíveis, rígidas e moldadas, apresentando melhorias de desempenho.

A Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, apresenta vários lançamentos em sua linha de aditivos para poliuretano (PU). Destinadas a diversos mercados, como construção, calçados, embalagens, automotivo, móveis, entre outros, as novas matérias-primas visam atender as diferentes necessidades e se antecipar às tendências destes segmentos industriais.

O portfólio de aditivos da Evonik destina-se, em especial, à produção de espumas de PU e para a adequação de determinadas propriedades físicas da espuma. Os produtos atendem aos requisitos tecnológicos desta indústria e são dotados de contínuas inovações. “Os novos produtos visam sempre beneficiar o transformador em todos os aspectos que envolvem a fabricação das espumas de poliuretano e um dos grandes diferenciais da empresa é o suporte comercial e técnico oferecido a todos os seus clientes”, afirma o Gerente de Poliuretano da Evonik, Roberto Luiz.

Os clientes da Evonik contam com quatro centros de competência desta área no mundo, nos quais técnicos e especialistas possuem todo o know-how necessário para desenvolver soluções específicas de cada mercado. No Brasil, o Centro Técnico de Poliuretano, instalado em Americana (SP), possui, entre suas funções, avaliar e sugerir aplicações dos produtos; realizar estudos e comparativos de formulações; e buscar o aperfeiçoamento de insumos voltados ao segmento de espumas flexíveis e rígidas.

Inovações em destaque

As atividades dos especialistas da Evonik permitem descobertas e inovações que remetem a uma nova geração de produtos, na qual se destacam itens ambientalmente favoráveis, fabricados com matérias-primas menos agressivas e que propiciam o desenvolvimento de espumas verdes, com menor emissão de gases e odores, menores taxas de cloreto de metileno, retardantes de chama não halogenados e polióis de óleos vegetais.

“Os aspectos ambientais têm se tornado diretrizes para os desenvolvimentos técnicos. Baixa emissão de VOC (Compostos Orgânicos Voláteis) em espumas flexíveis é mandatória na indústria automotiva, por exemplo”, observa Luiz. Com um amplo portfólio de Aditivos voltados ao mercado de poliuretano, a Evonik destaca novos estabilizadores, aditivos de performance, catalisadores e desmoldantes.
Leia o resto deste post »





Dow Química estuda expansão da unidade de TDI em Camaçari

19 02 2008

A Dow Poliuretanos anunciou no dia 18 de fevereiro (segunda-feira) um estudo de viabilidade de expansão da produção de diisocianato de tolueno (TDI), em sua unidade em Camaçari, na Bahia. A proposta, que está em estágio avançado, envolve uma nova tecnologia de processo que ajudará a atender à demanda crescente por produtos de poliuretano de uso final na América Latina e transformará Camaçari em uma unidade produtiva líder e de padrão mundial. Decisões importantes sobre o projeto devem ser tomadas até o quarto trimestre de 2008 e, se aprovada, a nova capacidade de TDI será adicionada em 2011.

Com o crescimento econômico do setor químico forte e contínuo, a América Latina é um importante mercado para a Dow. A expansão planejada de TDI continuará a impulsionar o crescimento dos negócios de produtos de alta performance , como a Dow Poliuretanos, ao possibilitar que a Empresa atenda às demandas crescentes de seus clientes e ofereça um fornecimento confiável a longo prazo”, afirma Pat Dawson, presidente da Dow Poliuretanos, unidade de negócios da The Dow Chemical Company (Dow). “Essa expansão da capacidade ajudará a Empresa a oferecer aos seus clientes latino-americanos produtos para atender a esses mercados em expansão”, acrescentou Dawson.
Leia o resto deste post »





Grupo Linde fecha contrato de fornecimento de gás para indústria de poliuretano da China

16 01 2008

Líder mundial em tecnologia e produção de gases industriais e medicinais, o Grupo Linde fechou um contrato de longo prazo com a Ningbo Wan hua Polyuretano, uma das empresas do setor de produção de poliuretanos de mais rápido crescimento na China. A Linde fornecerá, a partir 2010, oxigênio e nitrogênio para as plantas da Wanhua em Ningbo (China). Isso envolve investimentos da ordem de 125 milhões de dólares, o que representa o maior investimento isolado na história da Linde na China.

A Linde Gas Ningbo, uma empresa de propriedade integral do Grupo Linde, construirá dois conjuntos de unidades de separação de ar e um duto de 30 km de extensão. A planta fornecerá gases à Wanhua e à Ningbo Steel. Também co-produzirá 800 toneladas diárias de nitrogênio líquido, oxigênio e argônio para o mercado, bem como os gases raros, criptônio e xenônio.

“O investimento da Linde nesse projeto assinala o nosso compromisso de longo prazo na China, sustentado pela nossa expertise na completa cadeia de valor da gaseificação a carvão vegetal”, afirma o Dr. Aldo Belloni, membro da Diretoria Executiva da Linde AG. “A nossa parceria com uma empresa ambiciosa e líder como a Wanhua exemplifica o valor com o qual nós contribuímos para o crescimento da indústria de base na China. Esse sucesso assenta-se na nossa elevada capacitação para a produção e o fornecimento de gases e nas nossas soluções de engenharia”.

Ding Jian Sheng, Chairman da Wanhua, afirma: “O Grupo Linde tem um nome com excelente reputação para os padrões de qualidade e confiabilidade na China. Além disso, a nossa parceria tira proveito da vasta experiência da Linde na compreensão do mercado chinês”.

Com a planta em operação a partir de 2010, a Linde Gas Ningbo será a maior produtora de gás de ar na China, com uma capacidade total de produção de 8 mil toneladas diárias de oxigênio e nitrogênio e com mais de 70 km de dutos. Por volta de 2012, a capacidade de produção da Linde Gas Ningbo terá condições de fornecimento a clientes de múltipla tonelagem na área.

A Ningbo Wanhua se estabeleceu em 2005, e a Yantai Wanhua, sua empresa-mãe, é muito conhecida na China. A Wanhua é a única empresa local que possui a tecnologia e a expertise para MDI, necessário na produção de poliuretano, largamente usado nos setores automobilístico e de construção e também na fabricação de tintas e de calçados. A China está se tornando rapidamente um dos mercados-chave de MDI, atrás apenas da América do Norte e da Europa.

Na China, a Linde é a maior empresa de gases e de engenharia, registrando crescimento anual de dois dígitos. A Linde é atualmente proprietária integral de 20 empresas, participa de 28 joint-ventures e tem mais de 100 plantas operacionais nos maiores aglomerados industriais no país todo e mais de 2 mil funcionários.

REFERÊNCIA:
PORTAL FATOR BRASIL. Linde fecha contrato exclusivo para o fornecimento de gás com empresa na China. Disponível em: <http://www.revistafator.com.br>. Acesso em: 16 Jan 2008





Momentive Lança silicone para espuma rígida de poliuretano

2 01 2008

Novo surfactante é um excelente candidato a ser considerado para aplicações que contêm Baixa compatibilidade ou agentes de expansão de baixa solubilidade.

A Momentive Performance Materials anunciou na UTECH North America Exhibition & Conference o lançamento do surfactante de silicone Niax* Y-16045, um copolímero de silicone não-hidrolisável que pode ser adequado para formulação em combinações de resina para a fabricação de espuma rígida de poliuretano. O surfactante de silicone Niax Y-16045 é um excelente candidato a ser considerado para utilização na fabricação de boardstock laminado flexível de metal, boardstock laminado rígido de metal e bunstock expandido com hidrocarboneto devido ao seu potencial de aumentar substancialmente a estabilidade da emulsão quando os componentes de resina são combinados em um sistema.

“Esse novo surfatante de silicone é um excelente candidato para aplicações contendo baixa compatibilidade ou agentes de expansão de baixa solubilidade”, disse Alberto Melle, gerente global de marketing da Momentive. “Além de estender a duração da emulsão de resina, ele pode proporcionar aos fabricantes uma espuma rígida de poliuretano com excelente estabilização de espuma e uma estrutura de célula extremamente fina.”

A estrutura de espuma regular fina produzida tipicamente com o surfatante de silicone Niax Y-16045 resulta em desempenho de baixa condutividade térmica. O nível de utilização comum para o surfatante de silicone Niax Y-16045 vai de 1,5 a 2,5 partes por cem partes de poliol, ou parts per hundred of poliol (pphp).

REFERÊNCIA:
BUSINESS WIRE. Momentive Lança Silicone Niax* Y-16045 Para Espuma Rígida de Poliuretano. Disponível em: <http://www.businesswire.com>. Acesso em: 02 Jan 2008








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 173 outros seguidores