SP: vistoria flagra lojas vendendo colchões sem selo do Inmetro

10 04 2014

REFERÊNCIA
BOM DIA BRASIL. SP: vistoria flagra lojas vendendo colchões sem selo do Inmetro. Disponível em: <g1.globo.com> Acesso: 10 Abr 2014.


Colchões fora dos padrões exigidos pelo Inmetro podem causar prejuízo e problemas para a saúde, como dor na lombar e cara de sono.

Uma vistoria em São Paulo mostra que mais da metade das lojas vendem colchões fora dos padrões de qualidade exigidos pelo Inmetro, e isso pode causar prejuízo e problemas para a saúde, como aquela dor na lombar que incomoda o dia inteiro e aquela cara de sono.

Desde agosto do ano passado, os fabricantes são obrigados a se adequar às normas para garantir a qualidade do produto, mas uma fiscalização em São Paulo mostrou que ainda tem muito colchão sem o selo de qualidade.

É um massacre por um bom motivo. Esmagar a espuma do colchão faz parte de um teste que simula o deita e levanta de uma pessoa. “Esse é um ensaio de fadiga dinâmica no qual ele vai avaliar o uso continuo do colchão”, explica o técnico Matheus Fonseca.

Além desse teste, outros seis são realizados só na espuma. E há mais dois, pra analisar as dimensões do colchão e a embalagem. E outros quatro só para o revestimento. Um deles verifica até que ponto o tecido resiste antes de se romper, de rasgar.

Os teste foram estabelecidos pelo Inmetro e laboratórios credenciados fazem as análises. Se tudo estiver certo, dentro das normas, o fabricante recebe um certificado e consegue o selo do Inmetro. É ele que atesta a qualidade do produto.

As exigências começaram a valer em agosto do ano passado e só para colchão de espuma.
As fábricas tiveram até fevereiro para se adequar, mas em uma fiscalização recente em São Paulo muitas lojas foram flagradas vendendo colchão fora dos padrões. Dos 76 locais visitados no estado, pelas equipes do Ipem – o Instituto de Pesos e Medidas – 44 tinham colchão sem o selo do Inmetro.

O que não tiver a fabricação com o selo, esse produto é autuado, vai de R$ 800 a R$ 30 mil a multa e na reincidência, dobra, com a apreensão do produto”, afirma o superintendente do Ipem Alexandre Modonezi.

Por enquanto, o selo do Inmetro não é exigido para os colchões de mola. Só para os de espuma.





Ipem autua lojas de colchões em Rio Preto e Birigui

30 03 2014

REFERÊNCIA
G1. Agentes do Ipem autuam lojas de colchões em Rio Preto e Birigui. Disponível em: <g1.globo.com> Acesso:29 Mar 2014.


Agentes do Ipem (Instituto de Pesos e Medidas) fiscalizam nesta sexta-feira (28) o comércio de colchões em São José do Rio Preto (SP). A ação é realizada simultaneamente na capital e em várias cidades do interior. Em Birigui (SP), de seis lojas fiscalizadas, em quatro foram encontradas irregularidades. Já em Rio Preto, de três lojas, uma tinha colchões fora dos padrões. Nestes casos, os fabricantes serão autuados e não as lojas.

O objetivo é identificar se os colchões de espuma estão de acordo com a legislação e se trazem, principalmente, todas as informações necessárias para o consumidor. O fabricante que disponibilizar no mercado o produto sem as devidas normas de qualidade, será autuado. “É importante lembrar que um colchão sem qualidade pode comprometer a saúde da pessoa“, afirma o delegado regional do Ipem, César Pereira de Menezes.

Nesta primeira fiscalização somente os fabricantes que comercializaram os colchões sem o selo do Inmetro após 7 de fevereiro de 2014 serão autuados. A norma também valerá para os comerciantes a partir de 2015, no entanto, caso o comerciante não comprove a origem ou não possua a nota fiscal do produto, este também será autuado. Os fabricantes autuados tem até dez dias para apresentar defesa e a multa pode variar de R$ 800 a R$ 30 mil.

Desde o mês passado, as fábricas de colchões são obrigadas a fornecer somente produtos com selo de qualidade. As empresas que vendem colchões vão ter um tempo a mais para se adequar à nova norma.

Um colchão de má qualidade pode gerar noites mal dormidas, indisposição e dores nas costas. Foram estes motivos que fizeram o funcionário público Mário Freire comprar um novo colchão. O investimento, segundo ele, valeu a pena e a qualidade do sono melhorou. “O colchão atendeu as minhas necessidades e agora melhorou muito o sono, acordo sem dores no corpo. A primeira coisa que verificamos foi a questão do Inmetro, o Inmetro aprovou então a gente comprou e resolveu nosso problema”, diz Mário.

Desde o dia 7 de fevereiro, fábricas e importadoras de colchões de espuma estão proibidas de fornecer produtos sem o selo do Inmetro. Para conseguir a certificação, as empresas precisam obedecer a uma série de normas, que determinam por exemplo: a densidade, a qualidade do revestimento e a vida útil dos colchões. A exigência veio depois que o próprio Inmetro realizou testes que comprovaram: 67% dos colchões brasileiros estão fora dos padrões de qualidade.

Os colchões vendidos em uma loja de Rio Preto são de fabricação própria. No local, o consumidor encontra uma infinidade de modelos, dos mais simples aos mais sofisticados. A empresa se antecipou e há dois anos e meio já fabrica colchões com selo do Inmetro. “O selo garante que a pessoa está comprando um produto de qualidade, que passaram por testes, que estão dentro da norma, então o cliente está levando a densidade correta”, diz a analista de qualidade Ariele Ziroldo Buzato.

As empresas têm o até o dia 7 de fevereiro de 2015 para vender todo estoque que não possua o selo do Inmetro e quem não cumprir a regra pode ser punido. Em uma outra loja, restam poucos colchões sem o selo e a gerente diz que desde o início do ano são comprados apenas produtos que tem o certificado de qualidade. “A partir de setembro de 2013 toda reposição já vem com selo do Inmetro, começamos a repor as mercadorias para estar dentro da norma”, afirma a gerente Daniela Pavam.





Operação “Nana Neném”: Procon autua 23 lojas de colchão no Rio

30 03 2014

REFERÊNCIA
SIDNEY REZENDE. Procon autua 23 lojas de colchão no Rio. Disponível em: <www.sidneyrezende.com> Acesso: 29 Mar 2014.


A Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), por meio do Procon Estadual, autuou 23 lojas de colchões nesta sexta-feira. A Operação Nana Neném tinha como objetivo verificar o cumprimento da Lei Estadual 6419/13, que proíbe a exposição de cartazes ou etiquetas de preços que deem destaque ao parcelamento da compra a prazo em detrimento do valor à vista. Os fiscais visitaram 40 estabelecimentos no Rio de Janeiro.

Em algumas lojas, os agentes do Procon não encontraram preços em produtos expostos nas vitrines, o Código de Defesa do Consumidor e o cartaz que informa o Disque Procon 151. As notas fiscais também eram emitidas sem o CNPJ da empresa.

Dos 40 estabelecimentos visitados, 17 não apresentavam irregularidades: sete lojas da Ortobom, cinco da Colchões Botafogo, quatro da Euro Colchões e uma da Copel Colchões.

Balanço da Operação Nana Neném:

1 – Ortobom (Av. Rio Branco, 53): Produtos sem preço, valor da parcela com o mesmo tamanho do valor à vista e ausência do cartaz que informa o Disque Procon 151.

2 – Euro Colchões (Rua do Ouvidor, 136): Tamanho do preço à vista menor ou igual ao valor da parcela.

3 – Ortobom (Botafogo Praia Shopping): Produtos sem preço.

4 – Euro Colchões (Botafogo Praia Shopping): Ausência de preço na vitrine e valor da parcela em tamanho maior que o preço à vista.

5 – Studio do Sono (Shopping Nova América): Produtos sem preço, colchão box só com o preço da parcela (sem o valor à vista), ofertas na vitrine e em diversos colchões, travesseiros e cômodas com o tamanho da fonte da parcela maior que o valor total.

6 – Ortobom (Rua Barata Ribeiro, 81): Ausência de preços e cartazes com preço parcelado e preço à vista no mesmo tamanho.

7 – Colchões Botafogo (Rua Maria Quitéria, 42): Ausência de preço em 14 colchões no interior da loja.

8 – Sono Bello (Boulevard 28 de Setembro, 277/loja 4): Produtos sem preço.

9 – Ortobom (Boulevard 28 de Setembro, 309): Colchão com o tamanho do preço da parcela maior que o do preço à vista e produtos sem preço.

10 – Ortobom (Av. das Américas, 5150/Carrefour): Ausência de preço na vitrine e no interior da loja.

11 – Colchões Botafogo (Shopping Via Parque): Alguns produtos no interior da loja sem especificação de preço e um produto na vitrine sem preço.

12 – Ortobom (Shopping Via Parque): Produtos no interior da loja sem preço.

13 – Colchões Botafogo (Casa Shopping): Alguns produtos sem preço no interior da loja.

14 – Copel (Casa Shopping): Produtos sem preço no interior da loja e valor da parcela maior que o preço à vista.

15 – Euro Colchões (Casa Shopping): Produtos sem preço no interior da loja e valor da parcela maior que o preço à vista.

16 – Colchões Castor (Casa Shopping): Ausência de preço na vitrine e no interior da loja.

17 – Ortobom (Rua Uruguai, 380/loja 19): Colchões expostos com o valor da parcela em fonte maior que o preço à vista e ausência de preço nos produtos.

18 – Colchões Castor (Rua Barata Ribeiro, 194/loja N): Ausência de preço nos travesseiro e lençóis, preço não legível e ostensivo nos colchões.

19 – Euro Colchões (Shopping Tijuca): Produtos sem preço e com o preço exposto em desconformidade com a lei.

20 – Euro colchões (Shopping Downtown): Preço parcelado maior que o preço à vista.

21 – Ortobom (Shopping Tijuca/Stand): Produtos sem preço, ausência do Código de Defesa do Consumidor, notas emitidas sem CNPJ e informações da loja.

22 – Ortobom (Shopping Downtown/2 lojas): Sem preço em alguns produtos.





Venda de colchão teve aumento de 12%

30 03 2014

REFERÊNCIA
MONITOR DIGITAL. Venda de colchão teve aumento de 12%, segundo associação. Disponível em: <www.monitormercantil.com.br> Acesso: 28 Mar 2014.


No penúltimo dia da 1ª Semana Nacional do Sono (14 a 21 de março), a Associação Brasileira das Indústrias de Colchões (Abicol), comemora um crescimento de 12% no período. Segundo o presidente da associação, Luis Fernando Ferraz, os bons números são um reflexo de um conjunto de situações.

As pessoas estão valorizando mais o dormir bem, além de estarem mais preocupadas com o interior da casa. Outro fator importante é a chegada do outono, quando a tendência da população é a de passar um tempo maior em ambientes mais aconchegantes como o quarto” – finalizou Ferraz.





Empresa anuncia colchão inteligente capaz de melhorar o sono

11 01 2014

REFERÊNCIA
OLHAR DIGITAL. Empresa anuncia colchão inteligente capaz de melhorar o sono. Disponível em: <olhardigital.uol.com.br> Acesso: 10 Jan 2014.


A onda da tecnologia pessoal é o “eu quantificado”. Pulseiras, relógios, celulares e óculos inteligentes, captam dados do usuário a todo momento para sugerir melhorias de vida. Por que não um colchão inteligente, também? Pensando nisso, a Sleep Number anunciou o x12, um colchão inteligente de US$ 8 mil.

Apresentado na CES 2014, o x12 é equipado com um sistema chamado “Sleep IQ”, que pode monitorar seu sono com precisão e também fazer ajustes na cama para melhorar a qualidade do seu descanso.

Os sensores no colchão são capazes de medir a respiração, os batimentos cardíacos e os movimentos noturnos. Os dados são enviados ao smartphone ou outro dispositivo para visualização simplificada. A cama é capaz até mesmo de fazer sugestões de como dormir melhor.

Como outros produtos não-smart da Sleep Number, o colchão também é ajustável, permitindo que cada parte da cama seja levantada ou abaixada separadamente. A cama é tem até mesmo um botão chamado “Partner Snore”, feito para ser apertado quando seu parceiro está roncando. Ele ajusta a parte da cabeça em 6 graus, o que, segundo o Digital Trends, normalmente é suficiente para parar o ronco.

Outros recursos são as luzes inferiores programadas para serem ligadas ou desligadas quando você sobe ou desce da cama e ainda é capaz de massagear o usuário.





Evonik amplia Centro Técnico de Poliuretanos em Americana (SP)

20 01 2013

REFERÊNCIA

BLOG DO PLÁSTICO. Evonik amplia Centro Técnico de Poliuretanos em Americana (SP). Disponível em: <http://blogdoplastico.wordpress.com> Acesso: 19 Jan 2013.


A Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, realizou importantes investimentos no Centro Técnico de Poliuretanos América do Sul, localizado em Americana (SP), que beneficiarão, em especial, os fabricantes de espumas para a produção de colchões.

Diante das novas exigências das normas ABNT NBR 13579-1 e ABNT NBR 13579-2, referentes à fabricação de colchões e colchonetes de espuma flexível de poliuretano, que entrarão em vigor a partir de agosto de 2013, o setor tem agora, à disposição, uma estrutura tecnológica e profissional completa, como apoio às atuais necessidades dos espumadores.

Direcionado aos clientes da região sul-americana, o Centro Técnico de Poliuretanos dobrou de tamanho e ganhou dois novos equipamentos de 1m³, nos formatos quadrado e cilíndrico, que possibilitam a reprodução fiel do processo de produção das espumas e a identificação da melhor formulação para atingir os quesitos das novas normas, além de facilitar a amostragem de espumas para os testes com alta qualidade.

As instalações estão disponíveis para toda a indústria do poliuretano, sejam clientes, distribuidores, fabricantes de matérias-primas, de máquinas e demais parceiros da Evonik. “Os clientes da empresa passam a dispor de uma planta piloto para os seus desenvolvimentos, que permite obter resultados melhores a um menor custo e em menos tempo”, afirma Roberto Luiz, Gerente de Poliuretanos da Evonik.

Serviços técnicos completos

O Centro Técnico de Poliuretanos América do Sul possui, entre suas funções, avaliar e sugerir aplicações dos produtos oferecidos pela Evonik. Para isso, realiza estudos e comparativos de formulações, exclusivos para cada cliente, que levam ao aperfeiçoamento de produtos voltados ao segmento de espumas flexíveis, utilizadas em móveis e colchões. Os profissionais do laboratório participam dos projetos da matriz, na Alemanha, e atendem a clientes da América do Sul e América Central, além de oferecer suporte a projetos globais da empresa.

Entre os serviços oferecidos estão treinamentos, projetos personalizados, reprodução de processos produtivos, soluções de problemas, avaliação de propriedades físicas, suporte de infraestrutura para laboratórios e relatórios técnicos profissionais. Desta forma, os clientes da Evonik podem contar com equipes treinadas, melhor relação custo/benefício de seus produtos, redução de perdas e de custos e mais eficiência em testes e processos.





Probel lança cama articulável e colchão de látex para hotelaria na Equipotel 2011

17 09 2011

REFERÊNCIA:
REVISTA HOTEIS. Probel lança cama articulável e colchão de látex para hotelaria na Equipotel 2011. Disponível em:<http://www.revistahoteis.com.br>. Acesso: 17 Set 2011


A Probel, tradicional empresa fabricante de colchões e com 71 anos de mercado, está lançando um novo colchão em látex e cama articulável para a sua linha Prohotel na Equipotel 2011, que acontece no Pavilhão de Exposição do Anhembi, em São Paulo. O evento teve início na última segunda-feira, 12 de setembro e termina hoje (15/09).

O colchão Prohotel Látex é fabricado em tecido de cachimere linho com viscose de bambu e com molas multilastic, com isso dando maior durabilidade ao produto, e o látex é de fabricação americana. Outra novidade da Probel é a cama articulável, montado sobre estrutura de madeira de reflorestamento tratada com o objetivo de repelir as colônias de cupins e traças. Possui tratamento Ultrafresh realizado na espuma e no tecido que impede a proliferação das colônias de ácaros, fungos, e bactérias. São feitas em molas bonnel confeccionadas em aço carbono que converge flexibilidade, conforto e alta durabilidade. A cama articulável é recomendável para pequenos meios de hospedagem e hotéis de praia.

O Diretor de Marketing da Probel, Clayton Martins, diz que a feira já superou as expectativas em volume de negócios, visitantes no estande e na prospecção de novos clientes. “Em comparação ao ano passado tivemos um crescimento de 60% na captação de novos negócios e para nós a feira Equipotel está sendo um sucesso. Através da feira conseguimos a abertura de novos negócios nos estados da Bahia, Maranhão e Acre, e também realizamos em nosso estande o lançamento do site da Probel que possui links para as redes sociais, descrição de todos os nossos produtos, plantão de dúvidas e entre outras ferramentas”, conclui Martins.





Empresa lança colchão com tecnologia inédita

8 12 2010

REFERÊNCIA:
KNEBEL, Patricia. JORNAL DO COMÉRCIO – RS. Empresa lança colchão com tecnologia inédita. Disponível em: <http://jcrs.uol.com.br>. Acesso: 07 Dez 2010


Novos aditivos na espuma deixam produto mais confortável

A empresa gaúcha Cia. do Sono desenvolveu uma tecnologia inédita que passará a ser usada em algumas linhas de colchões que comercializa a partir da unidade de Glorinha. O uso de novos aditivos na produção da espuma trouxe como resultado um produto mais confortável e seguro.

Os modelos antigos de espuma continham compostos aromáticos e tóxicos, que prejudicam os operadores na fábrica e o ambiente. O objetivo desse desenvolvimento foi eliminar esse tipo de tratamento e criar um perfilado – espuma que é colocada em cima do colchão – a partir de poliuretano flexível, mas que mantivesse a principal característica do látex: a alta densidade.

Foram 12 meses de estudos e desenvolvimento de protótipos. A primeira etapa foi a de analisar a ação dos reagentes e, depois, desenvolver em escala-piloto até chegar à versão comercial. Uma das linhas de pesquisas seguida foi a de desenvolver um produto cuja composição se assemelhasse à das palmilhas de tênis.

Esse tipo de produto usa poliuretano e deve ser antimicrobial, não pode rasgar e precisa ter alta durabilidade. “Analisamos diversos materiais e verificamos que usar essa estrutura das palmilhas seria uma alternativa viável para chegarmos ao nosso objetivo”, observa o gerente de produção e de Pesquisa e Desenvolvimento da Cia. do Sono, Ronei Alvarenga.

Com base nisso, a empresa passou para a produção de espuma em bloco. Também foram feitas modificações para se chegar a um produto ainda mais confortável que a palmilha. Na composição estão amaciante de espuma, aditivo antirrasgo e de elasticidade e antichama, para retardar a queima caso aconteça algum acidente. Também fazem parte da composição um aditivo natural antimicrobial e antirraios ultravioleta, que ameniza o amarelamento do colchão caso ele fique no sol. “Isso tudo garante um colchão capaz de proporcionar alto conforto aos consumidores, bem como maior durabilidade, suporte e desempenho”, comenta Alvarenga.

Outro diferencial é a densidade elevada, de 60g/cm2, e o alto desempenho em situações extremas, enquanto os colchões produzidos com tratamento à base de látex possuem espumas com densidade entre 28 e 38g/cm2. Quanto maior a densidade, melhor é o suporte à pressão exercida e mais elevada será a resistência ao rasgo.

Alvarenga destaca ainda os ganhos para o ambiente que a introdução dessa tecnologia traz. A estimativa é de uma redução de corte de mais de 100 árvores/mês para a extração do látex natural. “A intenção é ter um produto com impacto ambiental zero, mas com desempenho e propriedades físicas iguais ou superiores aos colchões produzidos com látex de seringueira”, justifica Alvarenga.

Os funcionários da empresa também já sentem o reflexo de trabalharem com um produto sem solventes aromáticos, que são extremamente tóxicos. Para manipular o látex, o trabalhador precisa utilizar insumos prejudiciais à saúde. Por outro lado, poliuretano não utiliza esses compostos.

A Cia. do Sono já está vendendo este novo produto nas 14 unidades espalhadas pelo País. A empresa também possui know- how na produção de colchões terapêuticos e tecnologia do sono e com mais de 20 anos de atuação no mercado. Os colchões com a marca Cia. do Sono estão sendo comercializados em Angola e também na cidade de Boston, nos Estados Unidos.





Fábrica da Ortobom pega fogo em Contagem

22 06 2010

REFERÊNCIA:
DO VALE, João Henrique. Portal Uai. Fábrica de colchões pega fogo em Contagem. Disponível em: <http://www.uai.com.br>. Acesso: 22 Junho 2010


Um incêndio de grandes proporções consumiu uma fábrica de colchões Ortobom, na Rua Felipe dos Santos, 397, Bairro Nacional, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações do Corpo de Bombeiros (COBOM), oito viaturas deslocaram para o local, sendo cinco delas especializadas em combater incêndios. Ainda não foi possível determinar a causa do incêndio. De acordo com o COBOM, funcionários trabalhavam no local, mas não há informações de feridos.





Inmetro: Consulta Pública sobre certificação de colchões

4 06 2010

REFERÊNCIA:
INMETRO. Consulta Pública sobre certificação compulsória de colchões. Disponível em: <www.inmetro.gov.br>. Acesso em: 03 Junho 2010


Encontra-se em consulta pública o regulamento que tornará obrigatória a certificação de colchões e colchonetes de espuma comercializados no Brasil. A proposta de texto dos requisitos de avaliação da conformidade para colchões e colchonetes de espuma flexível de poliuretano foi publicada no Diário Oficial da União em 20/05/2010 (seção 01, página 75) e ficará disponível até 19 de julho de 2010. As contribuições e comentários podem ser enviados, até essa data, através de formulário específico.

A certificação compulsória de colchões começou a ser discutida a partir de denúncias recebidas pela Ouvidoria do Inmetro e após as análises realizadas pelo Instituto nos anos de 2006 e 2008. Nas análises foram testados os colchões D33 para solteiro. Os ensaios evidenciaram que 47% (em 2006) e 66% (em 2008) apresentavam não conformidades em relação à norma técnica brasileira definida pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A certificação contemplará as demais densidades comercializadas.

A atuação do Inmetro no desenvolvimento de programas de avaliação da conformidade é caracterizada por um processo amplo e participativo dos segmentos envolvidos, para promover a transparência no seu desenvolvimento. Para realizar esse trabalho, o Inmetro institui Comissões Técnicas que assessoram o Instituto na elaboração dos programas. Essas comissões são constituídas por entidades representativas das partes interessadas, de preferência em ordem paritária, de forma a proporcionar o equilíbrio de interesses e a imparcialidade, sem predominância de qualquer interesse particular.

O RAC de colchões contém as regras específicas que estabelecem um tratamento sistêmico à avaliação da conformidade de colchões e colchonetes, de forma a propiciar um adequado grau de confiança em relação ao cumprimento dos requisitos estabelecidos nas normas ABNT NBR 13579-1: Colchão e colchonete de espuma flexível de poliuretano – Parte 1: Bloco de espuma e ABNT NBR 13579-2: Colchão e colchonete de espuma flexível de poliuretano – Parte 2: Revestimento.
Durante o período de consulta pública do regulamento, o Inmetro estará promovendo eventos visando ao esclarecimento do setor produtivo e das demais partes interessadas quanto à sistemática do programa.

Após a publicação em caráter definitivo do RAC, os fabricantes e comerciantes terão um prazo de 24 e 36 meses, respectivamente, para se adequarem às exigências do regulamento. Após esse prazo, o produto entra no Plano de Fiscalização da Rede Brasileira de Metrologia e Qualidade – RBMLQ-I.

Nessa fase de consulta pública, críticas e sugestões a respeito dos textos supramencionados deverão ser encaminhadas para o email dipac.consultapublica@inmetro.gov.br, através do formulário citado, ou para o endereço:

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – Inmetro
Diretoria da Qualidade – Dqual
Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade – Dipac
Rua Santa Alexandrina, 416 – 8º andar – Rio Comprido
CEP 20261-232 – Rio de Janeiro – RJ








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 170 outros seguidores